Kinvo Artigos

Tudo sobre debêntures: o que são, tipos, oportunidades e riscos!

Compartilhe essa publicação

O mercado de renda fixa costuma atrair investidores pela previsibilidade e segurança que pode trazer à carteira de investimentos. No entanto, também existem oportunidades que podem ser interessantes pelo potencial de rentabilidade. Assim, vale saber o que são as debêntures.

Essas aplicações apresentam características em seu funcionamento que as distinguem de outros títulos de renda fixa disponíveis no mercado. Nesse sentido, é importante conhecer suas características para saber se elas são adequadas para seu portfólio. 

Quer entender mais sobre esses títulos? Acompanhe a leitura deste artigo para saber o que são debêntures, quais são seus tipos e quais oportunidades elas trazem para seu portfólio!

O que são debêntures? 

As debêntures consistem em títulos de renda fixa emitidos por empresas — de capital aberto ou fechado. Elas são utilizadas como mecanismos para levantamento de recursos. 

Então uma organização que precisa de capital para realizar suas operações pode optar por disponibilizar as debêntures no mercado. Dessa maneira, o investidor receberá os juros da aplicação na data de vencimento do título — e de acordo com as regras de rentabilidade acordadas. 

Contudo, é importante lembrar que as debêntures não se confundem com as ações. Mesmo nos casos em que a emissão dos títulos é feita por empresas de capital aberto, a lógica de funcionamento e as características dos investimentos são diferentes. 

Como elas funcionam?

Como você viu, as debêntures são aplicações emitidas por empresas. Nesse sentido, elas são classificadas como títulos de crédito privado e a rentabilidade pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida. 

No primeiro cenário, os investidores conhecem a taxa de juros anual já no momento de aplicar o dinheiro. Essa porcentagem se mantém até o vencimento e traz mais previsibilidade para os interessados na aplicação. 

Já no caso dos títulos pós-fixados, a remuneração acompanha um indicador do mercado. Geralmente, os títulos seguem as variações do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) — que fica próximo à Selic. Com isso, os investidores só saberão o total de ganhos no resgate ou vencimento.

Quanto à rentabilidade híbrida, existe a combinação de uma taxa fixa com uma pós-fixada — que costuma acompanhar indicadores de inflação. Dessa maneira, essas debêntures podem garantir rentabilidade real positiva para os investidores na data de vencimento.

No entanto, alguns tipos de debênture têm a incidência do Imposto de Renda (IR) sobre seus lucros. As alíquotas seguem a tabela regressiva da renda fixa, variando entre 22,5% e 15%, de acordo com o período em que o capital ficou aplicado. 

Quais os tipos de debêntures?

Agora que você sabe mais sobre o funcionamento das debêntures, é preciso conhecer quais os seus tipos. Assim, você poderá encontrar aquela que é mais adequada à sua estratégia de investimento.

Confira os principais!

Conversíveis

As debêntures conversíveis são aquelas que podem ser transformadas em ações da empresa emissora. A troca pode acontecer no vencimento ou em outra data predeterminada. Desse modo, o investidor tem a oportunidade de transitar da renda fixa para a variável.

Simples 

Ao contrário das conversíveis, as debêntures simples não permitem essa transformação. Assim, o investidor será remunerado em dinheiro, de acordo com as regras de rentabilidade do título quando a aplicação atingir seu vencimento ou no resgate. 

Permutáveis

As debêntures permutáveis apresentam funcionamento similar às conversíveis. Afinal, elas também possibilitam a transformação dos títulos em ações. Entretanto, nesse caso, os papéis podem ser de outra empresa de capital aberto. 

Perpétuas

Também existem as debêntures perpétuas, que funcionam sem um prazo de vencimento. Nesse cenário, os ganhos do investidor acontecem de maneira contínua, de acordo com as regras que a empresa emissora estipula. 

Incentivadas

Por fim, também há as debêntures incentivadas. Elas se destacam por servirem como instrumento de captação de recursos para obras de infraestrutura. Assim, instituições que constroem rodovias e demais projetos nesse setor podem emitir esses títulos.

O principal benefício para os investidores está na isenção de IR sobre seus lucros — e ela será sempre do tipo simples. Além disso, as demais debêntures que não são incentivadas também são conhecidas como “comuns”. 

Quais as vantagens e desvantagens das debêntures?

O investimento em debêntures pode trazer diversos benefícios para os investidores. Entre os principais, está o potencial de ampliar sua rentabilidade sem sair da renda fixa.

Isso acontece porque, como foi possível aprender, as debêntures são títulos de crédito privado. Eles apresentam mais riscos que outras aplicações da renda fixa — como os títulos públicos ou aqueles emitidos por instituições financeiras. 

Assim, é comum que as empresas emissoras apresentem taxas mais altas de retorno para atrair mais investidores. Ademais, há diversos tipos de debêntures disponíveis no mercado. Desse modo, os investidores podem compará-las e escolher a mais alinhada à sua estratégia.

Caso o foco seja ter melhor rentabilidade líquida, é possível escolher debêntures incentivadas para evitar os descontos de IR, por exemplo. Já se a ideia é investir em ações no futuro, os investidores podem aplicar em títulos conversíveis ou permutáveis. 

Contudo, os riscos também estão presentes nas debêntures. O risco de crédito é o principal deles. Afinal, existe a possibilidade de a empresa emissora do título enfrentar problemas financeiros e não conseguir arcar com seus compromissos perante os investidores. 

Nesse sentido, é importante destacar que esse investimento não conta com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Desse modo, o investidor fica exposto a mais riscos. 

Quando investir em uma debênture? 

Agora que você entendeu as principais características das debêntures, vale saber quando investir nessas aplicações. Para tanto, é interessante que você avalie o seu perfil de investidor e o nível de tolerância aos riscos. Considere também os seus objetivos financeiros. 

Após essa etapa, é fundamental que você estude sobre as características do título de interesse. É preciso identificar o tipo de debênture e as regras estipuladas pelo emissor em relação à rentabilidade e prazo de vencimento. 

Além disso, você também pode analisar os fundamentos da empresa. Como vimos, esses títulos não contam com a proteção do FGC. Desse modo, a prática funciona para reduzir o risco de crédito do seu investimento. 

A compra de debêntures acontece por meio da plataforma de bancos de investimento. Ademais, os investidores também podem investir nesses títulos por meio de fundos de investimentos — como os fundos de debêntures incentivadas. 

Como você acompanhou, saber o que são debêntures pode ser vantajoso para diversificar seus investimentos na renda fixa. Agora que você as conhece, vale a pena analisá-las para entender se essas alternativas podem compor seu portfólio. 

Está em busca de entender mais sobre estratégias de investimento? Saiba a importância de fazer o balanceamento de carteira!

Fique sempre atualizado.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo sobre o
mercado financeiro todos os dias.

    Você também vai gostar